LA BÍBLIA Edição Revista e Atualizada João Ferreira

Salmos (Author Moisés, Davi, Salomão, Asafe, Hemã, Etã, sons of Corá, compiled by Esdras)

49:1Ouvi isto, vós todos os povos; inclinai os ouvidos, todos os habitantes do mundo,

49:2quer humildes quer grandes, tanto ricos como pobres.

49:3A minha boca falará a sabedoria, e a meditação do meu coração será de entendimento.

49:4Inclinarei os meus ouvidos a uma parábola; decifrarei o meu enigma ao som da harpa.

49:5Por que temeria eu nos dias da adversidade, ao cercar-me a iniqüidade dos meus perseguidores,

49:6dos que confiam nos seus bens e se gloriam na multidão das suas riquezas?

49:7Nenhum deles de modo algum pode remir a seu irmão, nem por ele dar um resgate a Deus,

49:8(pois a redenção da sua vida é caríssima, de sorte que os seus recursos não dariam;)

49:9para que continuasse a viver para sempre, e não visse a cova.

49:10Sim, ele verá que até os sábios morrem, que perecem igualmente o néscio e o estúpido, e deixam a outros os seus bens.

49:11O pensamento íntimo deles é que as suas casas são perpétuas e as suas habitações de geração em geração; dão às suas terras os seus próprios nomes.

49:12Mas o homem, embora esteja em honra, não permanece; antes é como os animais que perecem.

49:13Este é o destino dos que confiam em si mesmos; o fim dos que se satisfazem com as suas próprias palavras.

49:14Como ovelhas são arrebanhados ao Seol; a morte os pastoreia; ao romper do dia os retos terão domínio sobre eles; e a sua formosura se consumirá no Seol, que lhes será por habitação.

49:15Mas Deus remirá a minha alma do poder do Seol, pois me receberá.

49:16Não temas quando alguém se enriquece, quando a glória da sua casa aumenta.

49:17Pois, quando morrer, nada levará consigo; a sua glória não descerá após ele.

49:18Ainda que ele, enquanto vivo, se considera feliz e os homens o louvam quando faz o bem a si mesmo,

49:19ele irá ter com a geração de seus pais; eles nunca mais verão a luz

49:20Mas o homem, embora esteja em honra, não permanece; antes é como os animais que perecem.

50:1O Poderoso, o Senhor Deus, fala e convoca a terra desde o nascer do sol até o seu ocaso.

50:2Desde Sião, a perfeição da formosura. Deus resplandece.

50:3O nosso Deus vem, e não guarda silêncio; diante dele há um fogo devorador, e grande tormenta ao seu redor.

50:4Ele intima os altos céus e a terra, para o julgamento do seu povo:

50:5Congregai os meus santos, aqueles que fizeram comigo um pacto por meio de sacrifícios.

50:6Os céus proclamam a justiça dele, pois Deus mesmo é Juiz.

50:7Ouve, povo meu, e eu falarei; ouve, ó Israel, e eu te protestarei: Eu sou Deus, o teu Deus.

50:8Não te repreendo pelos teus sacrifícios, pois os teus holocaustos estão de contínuo perante mim.

50:9Da tua casa não aceitarei novilho, nem bodes dos teus currais.

50:10Porque meu é todo animal da selva, e o gado sobre milhares de outeiros.

50:11Conheço todas as aves dos montes, e tudo o que se move no campo é meu.

50:12Se eu tivesse fome, não to diria pois meu é o mundo e a sua plenitude.

50:13Comerei eu carne de touros? ou beberei sangue de bodes?

50:14Oferece a Deus por sacrifício ações de graças, e paga ao Altíssimo os teus votos;

50:15e invoca-me no dia da angústia; eu te livrarei, e tu me glorificarás.

50:16Mas ao ímpio diz Deus: Que fazes tu em recitares os meus estatutos, e em tomares o meu pacto na tua boca,

50:17visto que aborreces a correção, e lanças as minhas palavras para trás de ti?

50:18Quando vês um ladrão, tu te comprazes nele; e tens parte com os adúlteros.

50:19Soltas a tua boca para o mal, e a tua língua trama enganos.

50:20Tu te sentas a falar contra teu irmão; difamas o filho de tua mãe.

50:21Estas coisas tens feito, e eu me calei; pensavas que na verdade eu era como tu; mas eu te argüirei, e tudo te porei à vista.

50:22Considerai pois isto, vós que vos esqueceis de Deus, para que eu não vos despedace, sem que haja quem vos livre.

50:23Aquele que oferece por sacrifício ações de graças me glorifica; e àquele que bem ordena o seu caminho eu mostrarei a salvação de Deus.

51:1Compadece-te de mim, ó Deus, segundo a tua benignidade; apaga as minhas tansgressões, segundo a multidão das tuas misericórdias.

51:2Lava-me completamente da minha iniqüidade, e purifica-me do meu pecado.

51:3Pois eu conheço as minhas transgressões, e o meu pecado está sempre diante de mim.

51:4Contra ti, contra ti somente, pequei, e fiz o que é mau diante dos teus olhos; de sorte que és justificado em falares, e inculpável em julgares.

51:5Eis que eu nasci em iniqüidade, e em pecado me concedeu minha mãe.

51:6Eis que desejas que a verdade esteja no íntimo; faze-me, pois, conhecer a sabedoria no secreto da minha alma.

51:7Purifica-me com hissopo, e ficarei limpo; lava-me, e ficarei mais alvo do que a neve.

51:8Faze-me ouvir júbilo e alegria, para que se regozijem os ossos que esmagaste.

51:9Esconde o teu rosto dos meus pecados, e apaga todas as minhas iniqüidades.

51:10Cria em mim, ó Deus, um coração puro, e renova em mim um espírito estável.

51:11Não me lances fora da tua presença, e não retire de mim o teu santo Espírito.

51:12Restitui-me a alegria da tua salvação, e sustém-me com um espírito voluntário.

51:13Então ensinarei aos transgressores os teus caminhos, e pecadores se converterão a ti.

51:14Livra-me dos crimes de sangue, ó Deus, Deus da minha salvação, e a minha língua cantará alegremente a tua justiça.

51:15Abre, Senhor, os meus lábios, e a minha boca proclamará o teu louvor.

51:16Pois tu não te comprazes em sacrifícios; se eu te oferecesse holocaustos, tu não te deleitarias.

51:17O sacrifício aceitável a Deus é o espírito quebrantado; ao coração quebrantado e contrito não desprezarás, ó Deus.

51:18Faze o bem a Sião, segundo a tua boa vontade; edifica os muros de Jerusalém.

51:19Então te agradarás de sacrifícios de justiça dos holocaustos e das ofertas queimadas; então serão oferecidos novilhos sobre o teu altar.



Original from unbound.biola.edu - They claim public domain status for their original text.